Qualquer homem como eu tem quatro avos,

Esses quatro por força dezasseis,

Sessenta e quatro a esses contareis,

Em so três gerações que expomos nós.

Se um homem só da tanto cabedal,

Dos ascendentes seus, que farão mil?

Uma provincia? Todo o Portugal?

Por esta conta, amigo, ou nobre vil,

Sempre es parente do Marques de Tal,

E tambem do porteiro Afonso Gil.

                                                                      Abade de Jazente
                                     (Texto original em Português de Portugal)